Vicente Matheus, um mito da história corintiana.

 

 

Foi presidente do Corinthians por oito mandatos (1959, 72, 73, 75, 77, 79, 87 e 89), sendo eleito pela primeira vez em 1959. Era considerado um dirigente à moda antiga, usava recursos próprios para financiar projetos do clube.
Na sua presidência, o Corinthians conquistou alguns dos títulos mais importantes de sua história. O Paulista de 1977, pondo fim ao jejum de 23 anos sem título e o Campeonato Brasileiro de 1990, até então, o único título nacional que o Corinthians tinha.

Era conhecido por ser folclórico e criar de frases que entrarem para a história do futebol, propositalmente ou não, sua frases atravessam gerações e ainda divertem torcedores de todos os clubes. Vicente Matheus foi um dos dirigentes esportivos mais carismáticos e populares em todo o Brasil.

Vejas sua frases mais famosas:

  • “Jogador tem que ser igual ao pato, que é um ser aquático e gramático”.
  • “Haja o que hajar o Corinthians será campeão”.
  • “Agradeço à Antártica pelas Brahmas que nos mandou”.
  • “Quem sai na chuva é para se queimar”.
  • “Não contratei o Falcão, mas contratei o Lero-Lero” (Quis dizer Biro-Biro).
  • “Peço aos corintianos que compareçam às urnas para naufragar nossa chapa”.
  • “Quero mesblar jovens e velhos da diretoria”.
  • “Tive uma infantilidade muito triste”.
  • “O difícil, como todos sabem, não é fácil”.
  • “De gole em gole, a galinha enche o papo”.

Só para não passar em branco e informar quem ainda não conhece a história, vai outra frase do ex-presidente corintiano: “O Sócrates é inegociável, invendável e imprestável”. Se referindo às especulações de outros clubes interessados no doutor.

Tem uma história legal sobre a contratação de Sócrates no final da década de 70, Vicente Matheus foi para o interior de São Paulo, atrás de Sócrates, que era então jogador do Botafogo de Ribeirão Preto. Como o São Paulo estava querendo também comprar o jogador, mas precisava primeiro vender o volante Chicão. Vicente Matheus, muito perspicaz, enviou seu irmão para negociar com os dirigentes são-paulinos, enquanto isso, o ex-presidente corintiano contratou o jogador. Só para registrar, conta-se que nessa época “para ajudar” no exame antidoping se tomava antes duas garrafas de cerveja, Sócrates pedia uma caixa. Convidava o Casagrande ou outro parceiro de clube e só depois que tomasse todas ele fazia o exame. Dentro de campo, na minha opinião foi o maior jogador que já vestiu a camisa do Corinthians. Saudoso tempo do futebol, uma época onde o futebol era mais paixão e menos dinheiro.

Vicente Matheus era casado com Marlene Matheus, que com seu apoio foi presidenta do clube no período de 91-93.
Ele deixou a diretoria em 1993, e morreu no dia  8 de fevereiro de 1997 aos 88 anos, de insuficiência pulmonar, provocada por um câncer generalizado, após ficar 14 dias internado no Instituto do Coração, em São Paulo.

 

 

Postagens Recentes
Contato Rápido

Nós não estamos por perto no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail que vamos responder o mais breve possível.

juiz artilheiro